Coronavírus: manter a saúde mental é a chave para a sobrevivência

Tempo de leitura 4 min

Nas últimas semanas não se fala em outra coisa que não seja coronavírus ou COVID-19. Seja pelo surto no Brasil, pelas mortes na Europa ou pelo início do contágio na China, o assunto é pauta em qualquer lugar. As recomendações são claras: evitar aglomerações, em casos de sintomas procurar imediatamente um centro hospitalar, manter as mãos higienizadas com água e sabão, usar álcool em gel e entrar em isolamento para evitar a proliferação da doença. Mas o que fazer quando “ficar em casa” parece ser o fim do mundo e a sensação de desesperança parece cada vez mais forte?

“Em dias de isolamento social não podemos sair fazer festas ou nos reunir com os amigos, então é hora de nos voltarmos para o nosso lar e trazer todo o conforto para dentro de nós mesmos”, explica a Mind Coach Afine-se, Andrea Borges.

Nestes últimos dias muitas empresas estão mantendo seus colaboradores em home office, a fim de evitar possíveis contágios da doença e, ficar em casa, pode ser uma oportunidade de focar não apenas no trabalho, mas também em fazer do lar, um templo. Portanto, se você está com saudades de uma boa festa, não se reprima e ouça suas músicas favoritas, dance e cante na sala de casa mesmo. O velho ditado “quem canta os males espanta” encaixa-se muito bem dentro deste contexto.

Com os filhos mais tempo em casa é preciso improvisar. Incentive a prática da leitura, escrita, pintura e desenho, ao invés de deixá-los o dia todo em frente à televisão ou jogando videogame enquanto você está trabalhando.

Incentive seus filhos a fazer novas atividades ao invés de ficarem apenas conectados

Segundo Andrea neste momento é preciso saber acalmar o coração e os pensamentos, e o nosso cérebro funciona como se fosse uma rádio esperando para ser sintonizada. “Quanto mais positivo pesarmos, mais positividade atrairemos; e o mesmo acontece com os sentimentos de medo e ansiedade. Resta saber qual estação você escolherá sintonizar”, diz.

Uma forma de levar estes pensamentos negativos para longe é evitar os noticiários. É de amplo conhecimento todas as medidas de precaução que devemos tomar para evitar o contágio, mas será que vale a pena estar atento as notícias o tempo todo? “Devemos assistir para nos mantermos informados, mas é necessário filtrar as informações que chegam até nós. Lembre-se de procurar manter-se sempre na positividade”, salienta Andrea.

Se bater a vontade de ir até um centro comercial fazer compras, troque-a por um momento arrumando o guarda-roupa, limpando a casa, separando aquelas coisas velhas que estão jogadas no canto para doação e, assim, renovar o ambiente.

Se a igreja ou o templo que frequenta estão de portas fechadas, não tem problema. Reserve um momento do seu dia para fazer suas orações e agradecer a vida. Com técnicas de meditação e relaxamento o corpo começa a se reconectar com ele mesmo e a prática diária permite que escutemos nossa voz interior, que irá nos ensinar a serenar a mente e o coração. Estar atento à respiração também é uma forma de manter-se calmo. “Inspire pelo nariz contando até cinco, segure mais cinco e solte pela boca novamente até cinco. Um exercício simples que auxilia em momentos de angústia, taquicardia ou quando a respiração está muito ofegante”, ensina a mind coach.

Andrea ainda deixa uma pequena música para relaxamento, estresse e para aliviar a atenção, nestes dias de isolamento, clique aqui para ouvir.

“Este é um momento de união e nada melhor do que estarmos bem conectados com nós mesmos”, finaliza a mind coach.

Quem Escreve

Quiz Afine-se

Os seus hábitos falam por você

Assine nossa newsletter

Conteúdos exclusivos do maior site
de qualidade de vida do Brasil

Formulário enviado!

Em breve entraremos em contato.