Vitamina D pode diminuir os danos causados pelo coronavírus

Tempo de leitura 2 min

Uma pesquisa realizada por cientistas da Universidade de Turim, na Itália, descobriu que a vitamina D pode diminuir os danos causados pelo coronavírus nos pulmões– decorrentes de complicações respiratórias – além de ter um papel relevante na modulação do sistema imunológico. A vitamina D pode ser uma aliada no combate à COVID-19, não como uma cura, mas como uma ferramenta para reduzir o risco de a infecção se agravar.

Os dados, que foram coletados pelos professores, Giancarlo Isaia e Enzo Medico, indicam que os pacientes hospitalizados com a atual doença apresentaram alta deficiência de Vitamina D, principalmente os idosos.

O estudo sugere aos médicos que, além das medidas gerais de prevenção ao novo coronavírus que já foram amplamente divulgadas, garantam níveis adequados de vitamina D na população sobretudo nos já infectados, em seus familiares, nos profissionais de saúde, idosos frágeis e moradores de asilos, nas pessoas que estão em quarentena ou isolamento social e em todos aqueles que, por algum motivo, não se expõem adequadamente à luz solar.

Mas atenção! Mesmo com essa novidade você não deve correr até a farmácia mais próxima e suplementar esta vitamina sem uma recomendação médica, pois o excesso do composto é tão prejudicial quanto a deficiência.

A principal forma de ativar a vitamina D é por meio da exposição solar. O ideal é tomar cerca de 10 minutos de sol por dia sem filtro solar, das 12h às 14h. Claro que nestes dias de isolamento social é muito importante tomar todas as medidas de higiene recomendadas para a prevenção do coronavírus.

Já as principais fontes alimentares de vitamina D são carnes, peixes e frutos do mar, como salmão, sardinhas e mariscos, e alimentos como ovo, leite, fígado e queijos.

Quem Escreve

Quiz Afine-se

Os seus hábitos falam por você

Assine nossa newsletter

Conteúdos exclusivos do maior site
de qualidade de vida do Brasil

Formulário enviado!

Em breve entraremos em contato.